sexta-feira, 25 de novembro de 2011

68 - Cemitério Valéry



O mar à vista,
o sal nos olhos,
todos os mortos num só corpo.
Sob o lampejo eu chamo os meus ausentes.


Um comentário:

Giane disse...

Os meus ausentes não ouso chamar.
Medo. Medo de nenhum me escutar...

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails